Twitter Facebook Youtube
Operações Humanitárias da Equipa da CEDEAO para as Intervenções de Urgência
TÍTULO DO POSTO Operações Humanitárias da Equipa da CEDEAO para as Intervenções de Urgência

 

INSTITUIÇÃO Comissão da CEDEAO
NÍVEL P4
SALÁRIO ANUAL UC 56.591,37 USD 89,289.87
AGÊNCIA
LOCAL DE AFECTAÇÃO Abuja / Nigeria
DEPARTAMENTO Assuntos Sociais & Género
DIREÇÃO Assuntos Humanitários e Sociais
DIVISÃO Assuntos Humanitários
SOB A SUPERVISÃO DE Oficial Principal para Assuntos Humanitários
RESPONSÁVEL PELA SUPERVISÃO DE
  • Gestão de Risco de Catatrofe
  • Emergencia, Logistica e Planeamento

 

JD_Gender_Pt_PO Humanitarian Operations and EERT P4

SÍNTESE DA FUNÇÃO

O Oficial de Operações Humanitárias (EREC) será responsável pela coordenação, comunicação, monitorização, relatórios e articulação com os principais atores e autoridades humanitários para apoiar uma resposta humanitária efetiva. O Oficial de Operações Humanitárias deve ser capaz de proporcionar insumos analíticos e pareceres sólidos que contribuam para melhorar a capacidade institucional e a capacidade de articular políticas sobre um número crescente de questões humanitárias e de assistência de emergência. Além disso, para gerir a EREC, incluindo a gestão de um elenco para garantir a gestão sistemática de dados do pessoal humanitário e prontidão e disponibilidade para mobilização.

 

FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

•        Monitorizar, analisar e informar sobre desenvolvimentos humanitários, assistência/gestão de catástrofes ou situações de emergência no país afetado.

•        Preparar ou contribuir para a preparação de vários relatórios escritos, documentos e comunicações, por exemplo, secções de projetos de estudos, documentos de referência, diretrizes de políticas, briefings, estudos de caso, apresentações, correspondências, etc.

•        Estabelecer parcerias com outras agências humanitárias para coletar e compartilhar dados, assegurar o planeamento estratégico interinstitucional e avaliar programas de assistência para análise de lacunas e garantir que as descobertas mais recentes, lições aprendidas, fatores sócio-políticos e normas culturais/de género sejam incorporados.

•        Apoiar o planeamento de contingências entre agências. Construir consenso e facilitar a colaboração.

•        Auxiliar a comunidade humanitária em matéria de capacitação e organizar treinamento na área de emergência humanitária.

•        Rever e fornecer aconselhamento sobre questões de política relacionadas com a salvaguarda dos princípios humanitários e a garantia da prestação eficaz de assistência humanitária no contexto do fundo de ajuda humanitária.

•        Estabelecer e manter contactos com oficiais do governo, outras agências da ONU, organizações não-governamentais, missões diplomáticas, comunicação social, etc.

•        Comprometer-se e oferecer apoio à assistência técnica e a outras missões de campo, como por exemplo, participar de avaliações e visitas de campo rápidas para realizar revisões detalhadas de mecanismos específicos de coordenação do país em causa.

•        Garantir a coordenação de respostas rápidas e eficazes a desastres naturais e outras emergências de início rápido, usando um pacote integrado de serviços e ferramentas globais, regionais e nacionalmente reconhecidos.

•        Garantir a promoção da doutrina e prática de campo apropriadas na aplicação da Coordenação ou Cooperação Militar Civil (CIMIC ou CIMCOORD)

•        Executar outras tarefas conforme necessário.

 

QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS E EXPERIÊNCIA

•        Licenciatura em ciências políticas, ciências sociais, administração pública, estudos internacionais, economia, engenharia, ciências da saúde, saúde pública ou áreas afins, obtida de uma universidade reconhecida;

•        7 anos de experiência relevante em assuntos humanitários, preparação e resposta a emergências, operações e práticas de logística, reabilitação e desenvolvimento;

•        conhecimento dos principais instrumentos de assistência humanitária regional da CEDEAO, mecanismos de resposta a emergências e instrumentos relacionados a direitos humanos e igualdade de género;

•        experiência na condução de avaliações de risco em situações de emergência, crise e gestão de bases de dados e implementação de estratégias de prevenção e resposta;

 

COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS DA CED

•     capacidade de fazer com que os grupos trabalhem juntos de forma cooperativa, recrutando um envolvimento ativo, criando um clima de respeito e abertura e aplicando técnicas eficazes de facilitação de grupo, explorando seus potenciais, motivando-os e orientando-os;

•     capacidade de respeitar a cadeia de comando de maneira apropriada;

•        capacidade de designar trabalho para direcionar relatórios e fornecer feedback oportuno e consistente sobre proficiência e eficácia técnica;

•        capacidade de representar a organização de forma eficaz perante as partes externas.

·         capacidade de considerar o impacto de uma mudança na direção programática para as necessidades das partes interessadas internas e externas;

·         capacidade de promover e considerar o feedback do pessoal para agilizar os processos, a fim de cumprir prazos de relevância para as expectativas do cliente;

·         capacidade de manter, consistentemente, compostura e direção em situações de alta pressão;

·         desenvolver habilidades de resolução de problemas, mediação e resolução de conflitos para tratar discrepâncias, reclamações, estrangulamentos, restrições de tempo que afetam a qualidade e a quantidade de serviços ao cliente;

·         capacidade de comunicar abertamente com os clientes, mantendo-os informados do progresso e questões que requerem atenção/resoluções.

·         capacidade de implementar mudanças programáticas de uma forma que garanta um ambiente de trabalho livre de preconceitos, aplicação justa e equitativa a novas regras/regulamentos;

·         experiência e capacidade de aderir a políticas, metas, objetivos e princípios de valorização da diversidade na execução de deveres e responsabilidades quotidianos; promover/modelar comportamentos que demonstrem tolerância e compreensão de várias culturas;

·         capacidade de criar valor a partir da potencialização de diversas capacidades e insumos de várias culturas, funcionários e clientes;

·         capacidade e responsabilidade de incorporar as perspetivas de género e assegurar a participação igual de mulheres e homens em todas as áreas de trabalho;

·         conhecimento das instituições da CEDEAO e como os diferentes órgãos se relacionam entre si, particularmente no que se refere ao próprio sector/programa de trabalho;

·         conhecimento de abordagens para o desenvolvimento de políticas e programas de uma organização internacional, bem como a gestão de projetos;

·         conhecimento das regras, processos e procedimentos de uma organização internacional, de pertinência às tarefas relacionadas à própria posição;

·         conhecimento das tendências, indicadores, desafios e oportunidades de desenvolvimento dos estados membros no que se refere ao projeto/programa atribuído à posição incumbida.

·         criatividade e flexibilidade para desviar-se dos métodos tradicionais no desenvolvimento de novos procedimentos, processos e ferramentas, usando a tecnologia para simplificar métodos e abordagens sempre que possível;

·         capacidade de reunir e resumir informações para prever pontos de vista das partes interessadas sobre uma nova política/programas; e excelentes habilidades analíticas para avaliar as políticas e tendências externas ao revisar as opções, prós, contras e recomendações de políticas/programas;

·         capacidade de sintetizar informações complexas coletadas de uma variedade de fontes externas e internas e divulgá-las a outras pessoas de maneira lógica;

·         capacidade de aplicar metodologias apropriadas para descobrir ou identificar preocupações relacionadas a políticas e recursos.

·         capacidade de avaliar, incorporar e comunicar os mais recentes desenvolvimentos na área de especialidade, usando diretrizes e critérios da instituição/agência;

·         desenvolver competências interpessoais, de negociação, de trabalhar em rede e de apresentação com habilidades comprovadas para influenciar, explicar informações complexas e demonstrar empatia e mente aberta;

·         capacidade de demonstrar proficiência operacional no uso do computador na comunicação, usando ferramentas tecnológicas;

·         capacidade de transmitir informações de forma clara, concisa, sucinta e organizada, através de expressões escritas e verbais;

·         exibir habilidades de escuta ativa para encorajar uma comunicação mais forte entre os membros da equipa, para mostrar cuidado e fazê-los sentirem-se valorizados e para impulsionar o engajamento dos funcionários em todas as instituições e agências;

  • proficiência em tecnologias de informação e comunicação (TIC);

·         Fluência oral e escrita numa das línguas oficiais da Comunidade da CEDEAO (inglês, francês & português). O conhecimento de uma segunda língua oficial da Comunidade será uma vantagem adicional.

·         conhecimento de ciclos de planeamento interno e capacidade de contribuir para o desenvolvimento e implementação de políticas da Comunidade ou institucionais, determinando o público-alvo, construindo coligações com a população apropriada e monitorizando o progresso;

·         capacidade de considerar circunstâncias, fatores e tendências externas ao organizar as atividades do projeto para garantir os melhores resultados;

·         capacidade de revisar os resultados do processo, correspondência, relatórios e documentos de políticas para desenvolver planos viáveis;

·         capacidade de ajustar os planos do projeto com base na contribuição do pessoal e das partes interessadas e/ou na capacidade de projetar e implementar diretrizes, ferramentas e modelos para acomodar programas e serviços novos ou revisados.

AS NOMEAÇÕES DEVEM SER ENVIADAS PARA: b1humanOpEmergResp@ecowas.int

 

 

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram