Twitter Facebook Youtube
Missão De Observação Eleitoral Da Cedeao Louva Liberianos Por Eleições Pacíficas
Abuja, 13 de outubro de 2017 . O Chefe da Missão de Observação Eleitoral de 71 Membros da CEDEAO, senhor John Mahama louvou os Liberianos por terem aproveitado da oportunidade que lhes conferiam as eleições de 10 de outubro de 2017 para exercerem o seu direito soberano de decidirem quem passaria a lhes dirigir.”

“Esta Missão acredita que, pelo ambiente prevalecente antes e até ao dia das eleições, em torno das atividades de votação, escrutínio e contagem de votos, a Libéria está no caminho de realizar eleições credíveis,” disse o senhor Mahama, antigo Presidente da República do Gana, quando lia a 11 de outubro de 2017 em Monróvia, a Declaração Preliminar da Missão sobre as eleições presidenciais e legislativas aquele Estado-membro.

Os resultados eleitorais ainda estavam a ser aguardados a 12 de outubro de 2017 das 15 divisões administrativas da Libéria, onde cerca de 2,18 milhões de eleitores registados votaram num ambiente geral de paz.

A Missão da CEDEAO exortou a Comissão Nacional de Eleições da Libéria (NEC) a “abordar a fase final do processo eleitoral com justiça e transparência atá à proclamação dos resultados.”

Ainda apelou “aos partidos políticos, aos candidatos e seus apoiantes, bem como aos órgãos de comunicação social que mantivessem a mesma postura de contenção, serenidade e patriotismo até o apuramento e anúncio dos resultados.”

“A Missão de Observação Eleitoral da CEDEAO exorta a NEC a proceder rapidamente à proclamação dos resultados provisórios a fim de evitar maior ansiedade na classe política,” disse Mahama em jeito de apelo.

“À luz das poucas dificuldades identificadas pelos Observadores da CEDEAO no terreno,” a Missão formulou sete recomendações, inclusivamente a necessidade de uma formação pertinente e atempada dos agentes eleitorais e a disponibilização atempada dos recursos financeiros adequados à NEC para facilitar o seu funcionamento.

A Missão da CEDEAO recomendou de seguida que a NEC procedesse a uma verificação atempada dos eleitores em conformidade com a Lei, para facilitar a identificação dos eleitores, a sua inscrição por ordem alfabética dos nomes nos cadernos eleitorais e assegurar que cada fotografia correspondesse ao número de série do respetivo eleitor.

Mas a Missão, que pediu que a prioridade de primeiros votantes fosse dada aos grupos vulneráveis, inclusivamente às mulheres grávidas e lactantes, bem como às pessoas portadoras de deficiência e idosas, “assinalou com preocupação ter havido casos isolados de violência durante o processo eleitoral em algumas zonas da Libéria”. Apesar disso, a Missão louvou as forças de segurança, em particular a Política Nacional da Libéria, por terem controlado a situação.

A Missão felicitou a Direção e os funcionários da NEC pelo “profissionalismo que souberam demonstrar durante todo o processo eleitoral” e saudou a Missão das Nações Unidas na Libéria (UNMIL) pelo apoio que concedeu à NEC, sobretudo o transporte aéreo do material eleitoral para Círculos inacessíveis por transporte rodoviário.

Ainda a Missão “felicitou os candidatos, os respetivos partidos e simpatizantes, bem como o eleitorado em geral pela maturidade que souberam demonstrar durante a campanha eleitoral e o processo de votação.”

Apelou a todos os candidatos que pusessem a Libéria no primeiro plano, mantendo a paz e “aceitando graciosamente a vontade do povo e, em situação de contrariedade justificada, que recorressem exclusivamente a meios legais de procurar soluções.”

Vinte candidatos, sendo 17 patrocinados por partidos políticos, inclusivamente a única candidata feminina e três candidatos independentes, disputaram a sucessão da Presidente cessante da Libéria, senhora Ellen Johnson-Sirleaf, enquanto mais de 980 outros candidatos disputavam 73 assentos parlamentares nas eleições de 10 de outubro de 2017.

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram