Twitter Facebook Youtube
CEDEAO Mobiliza Observadores para as Eleições Presidenciais na Guiné-Bissau

CEDEAO Mobiliza Observadores para as Eleições Presidenciais na Guiné-Bissau

Bissau, 22 de novembro de 2019. A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) enviou 70 observadores para a Missão de Observação Eleitoral da CEDEAO (CEDEAO-MOE) nas eleições presidenciais na Guiné-Bissau. Esta mobilização foi realizada hoje, 22 de novembro de 2019 em Bissau, Guiné-Bissau, em antecipação ao dia de  Eleição presidencial, 24 de novembro.

Ao apresentar uma mensagem de boa vontade na abertura, o Dr. Remi Ajibewa, Diretor de Assuntos Políticos da Comissão da CEDEAO, expressou a determinação da Comissão da CEDEAO em acompanhar a Guiné-Bissau durante as Eleições Presidenciais, em conformidade com o Protocolo Complementar relativo à Democracia e Boa Governação da CEDEAO de 2001.

O Dr. Ajibewa destacou que a CEDEAO, como parte do programa de assistência eleitoral aos Estados-membros, enviou peritos técnicos e apoio financeiro à Guiné-Bissau.

Acrescentando que o Presidente da Comissão da CEDEAO, Jean-Claude Kassi Brou, aprovou o envio de uma missão de averiguação pré-eleitoral, 10 observadores de eleições de longo prazo e 60 observadores de curto prazo para apoiar e monitorizar todo o processo eleitoral.

Cross Section of ECOWAS Observers

O Chefe da Missão de Observação Eleitoral da CEDEAO nas eleições presidenciais da Guiné-Bissau, S. Ex.ª Soumeylou Boubeye Maiga, ex-Primeiro Ministro da República do Mali, em seu discurso de boas-vindas, enfatizou que a CEDEAO tem mais do que a vontade política de apoiar a Guiné-Bissau na condução de uma missão credível e pacífica e eleição transparente. Acrescentou ainda que a determinação da CEDEAO e dos seus Chefes de Estado permitiu chegar a esta fase da evolução do processo eleitoral na Guiné-Bissau.

Destacou que uma das realizações de que todos devem se orgulhar é a organização das eleições legislativas de 10 de março de 2019, que, segundo ele, representam o primeiro passo para acabar com a crise política na Guiné-Bissau.

A Comissão da CEDEAO apoiou a eleição presidencial com 1,5 milhão de dólares e a equipa técnica e observadores pré-eleitorais, de longo e curto prazo, forneceu análises confiáveis e em tempo real e recomendações substanciais, que ajudaram a criar uma atmosfera de confiança pública, e incentivaram a participação dos cidadãos.           

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram