Twitter Facebook Youtube
O programa de competitividade da África Ocidental (wacomp) realiza reunião anual do Comité Diretivo Estratégico

Abuja, 30 de outubro de 2019

O Comité Diretivo Estratégico do Programa de Competitividade da África Ocidental (WACOMP/PCOMAO), composto pela Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Estados-membros da CEDEAO e Mauritânia, União Europeia (UE), Centro de Comércio Internacional (CCI), a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI) e a União Económica e Monetária da África Ocidental (UEMAO) iniciaram sua segunda reunião anual no dia 30 de Outubro de 2019 em Abuja, Nigéria, com o objetivo de Fortalecer a competitividade dos Países da África Ocidental e melhorar sua integração no sistema comercial regional e internacional.
O programa financiado pela UE no valor de 120 milhões de euros e implementado com a assistência do CCI e da ONUDI tem como objetivo apoiar várias cadeias de valor selecionadas a nível nacional e regional para promover a transformação estrutural e melhor acesso aos mercados regionais e internacionais, levando em consideração as preocupações sociais e ambientais.
Ao discursar na sessão de abertura da reunião, Mamadou Traore, o Comissário de Promoção da Indústria e do Setor Privado da Comissão da CEDEAO declarou que o programa consiste em um componente regional e dezasseis componentes nacionais (15 Estados-membros da CEDEAO e Mauritânia) e será implementado em duas fases abrangendo oito países por fase.
O Comissário salientou que a implementação efetiva do Programa de Competitividade da África Ocidental aumentará o sucesso do programa de trabalho de integração da CEDEAO e contribuirá substancialmente para a concretização da tão necessária competitividade na África Ocidental.
Ao apontar os vários desafios do clima de negócios na região, o Comissário Traore entusiasmou-se com o fato de que “o WACOMP/PCOMAO tem o potencial de oferecer, às nossas empresas e instituições, as capacidades de estabelecer as bases para estimular as ações que podem desafiar essas limitações, promover a competitividade e começar a libertar a nossa população da pobreza económica”.
Também, ao falar durante a sessão de abertura da reunião o Sr. Kurt Cornelis, Chefe de Cooperação, Delegação da UE na Nigéria e na CEDEAO, destacou que é importante ressaltar o papel do Programa em um contexto político mais amplo da UE, tal como a nova Aliança África-UE para Investimentos e Empregos Sustentáveis.
“Este programa desenvolve o potencial de investimento e criação de empregos em termos muito concretos, reunindo as principais partes interessadas, tais como decisores políticos, reguladores, empresas, organizações de apoio e associações empresariais”, afirmou ele.
O programa também prevê que a UE e a CEDEAO estabeleçam um observatório de competitividade na África Ocidental, com um orçamento de 8 milhões de euros. O Observatório contribuirá para melhorar o acesso dos setores público e privado a informações e dados confiáveis e abrangentes, que permitirão aos decisores políticos formular, implementar e monitorizar políticas e estratégias que contribuirão para a competitividade da África Ocidental.
O Observatório WACOMP, também conhecido como WACOB, conseguirá isso por meio da coleta de dados e informações qualitativas e quantitativas sobre competitividade a partir de fontes identificadas, criando um banco de dados para fornecer informações e serviços relevantes para os setores público e privado, além de analisar e avaliar o impacto de políticas sobre desempenho comercial, empresarial e de competitividade na África Ocidental.

Para mais informações, por favor, entre em contacto:

Direção de Comunicação, Comissão da CEDEAO
Telefone: +234 8102507938
E-mail: soulate@ecowas.int
Twitter: @ecowas_cedeao
Facebook: Ecowas_Cedeao
www.ecowas.int

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram