Twitter Facebook Youtube
Rumo à construção de um posto de controlo justaposto entre o Gana e a Cote d’Ivoire
Structural border
Le poste frontalier de Noépé enter le Ghana et le Togo


A cidade ganesa de Takoradi acolhe de 4 a 8 de maio de 2015 uma importante ação de formação sobre a construção, na fronteira entre o Gana e a Côte d’Ivoire, de um posto de controlo justaposto (PCJ) que visa nomeadamente facilitar a livre circulação das pessoas e dos bens assim como promover o comércio inter-regional.

 

Essa infraestrutura que será construída entre as localidades d’Elubo, do lado ganês e Noé na Côte d’Ivoire, deverá ajudar a eliminar os obstáculos ao comércio e ajudar a reduzir a pobreza, melhorando os serviços de transporte regionais e limitando os custos de modo a favorecer a integração regional.

 

Este encontro vai decorrer na presença dos ministros dos dois países com a tutela de várias pastas tais como a da integração e das infraestruturas, assim como na presença dos técnicos da indústria do transporte que operam nos corredores interestatais sem esquecer o comissário responsável pelas infraestruturas e peritos da CEDEAO.

 

Além dos debates entre participantes e parceiros para o desenvolvimento referentes a vários temas sobre os desafios dos PCJ, o seu impacto e a sua implementação, prevê-se uma visita ao posto fronteiriço de Elubo/Noé para identificar as principais pessoas e os atores responsáveis a fim de garantir uma implementação progressiva do projeto.

 

A prazo, o posto de controlo justaposto de Elubo/Noé será o quarto da região depois do de Malanville (Benim/Níger), Sémé (Benim/Nigéria) e Noépé (Gana/Togo) que, desde a sua implementação, ajudam a facilitar a passagem e reduzir os custos, atrasos e perseguições que ocorrem nas fronteiras da região.

 

Assim como explicava o Presidente da Comissão da CEDEAO, senhor Kadré Désiré Ouédraogo na recepção do posto de Noépé, estas infraestruturas têm a vantagem de servir de plataforma para a implementação das medidas de facilitação tais como o balcão único para acelerar o tratamento de documentos, a gestão integrada das fronteiras entre os diferentes organismos e a interconectividade dos sistemas aduaneiros.

 

Sendo a livre circulação das pessoas e dos bens um dos pilares do processo de integração no Espaço CEDEAO, a Comissão da CEDEAO teve o cuidado de trabalhar para a supressão dos obstáculos e dificuldades na circulação das pessoas e dos bens.

 

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram