Twitter Facebook Youtube
CEDEAO manifesta solidariedade para com o níger pela entrega de produtos alimentares
Remise symbolique des vivres à Adamou Souley Hamadou par Sékou Sangaré

Abuja, 8th August, 2018. A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), através da sua Reserva Regional de Segurança Alimentar, disponibilizou às autoridades nigerinas 6.528 toneladas de cereais para as pessoas em dificuldade alimentar.

A cerimónia de entrega dos produtos alimentares, compostos por 3.028 toneladas de milho, 3.000 toneladas de milho-miúdo e 500 toneladas de sorgo, decorreu na terça-feira, 7 de agosto de 2018, em Dosso, uma localidde situada a 135 km de Niamey, capital da República do Níger.

Esses alimentos são guardados em vários armazéns do Office des produits vivriers du Niger (OPVN), sitos em Dosso (2.000 toneladas), Birnin Konni (1.028 toneladas), Maradi (2.000 toneladas) e Zinder (1.500 toneladas).

A qualidade desses alimentos tem sido controlada pelo OPVN desde a entrada dos mesmos nos seus armazéns em 2017. Tratam-se de produtos alimentares saudáveis para o consumo disponibilizados ao Níger.

Ao receber esses víveres em nome do governo nigerino, o chefe do gabinete do Primeiro-ministro do Níger, Dr. Adamou Souley Hamadou, disse ser grato ao Presidente da Comissão da CEDEAO, Senhor Jean-Claude Kassi Brou, por aquela ajuda humanitária muito significativa. Prometeu que aqueles víveres seriam bem utilizados.

“Fique certo, Senhor Comissário, que essa assistência irá diretamente para a camada de populações carenciadas”, deixou entender o Sr. Hamadou.

Em nome do Presidente Brou, o Comissário para Agricultura, Ambiente e Recursos Hídricos da Comissão da CEDEAO, Sr. Sékou Sangaré, afirmou que aquela assistência alimentar era a expressão de solidariedade de todas as Iinstituições da Comunidade para com o Níger, naquele período de carência, em que uma parte significativa da sua população deparava com uma situação alimentar precária.

Aquela situação alimentar complexa, sugeriu ele, foi causada pela condição pluviométrica de 2017/2018, marcada por um início tardio e uma cessação precoce das chuvas; agravada por uma situação de segurança limitadora.

De acordo com o Sr. Sangaré, os alimentos colocados à disposição do governo nigerino acresceram-se aos dois primeiros níveis de intervenção: as existências da comunidade e das aldeias, bem como as existências nacionais de segurança alimentar.

A CEDEAO, disse ele, congratula-se com essa iniciativa de constituir reservas de segurança alimentar junto das populações de base e ao nível nacional, pelo que encoraja os demais Estados-membros a desenvolver aquele sistema de respostas eficazes garantes do acesso a alimentos para cada cidadão independentemente da parte do território nacional em que se encontra e seja qual for a época do ano.

Lembrou que as reservas de cereais da CEDEAO consistiam em produtos alimentares locais, produzidos na África Ocidental por produtores da África Ocidental e comprados junto dos mesmos, de acordo com a vontade dos líderes do Espaço CEDEAO de criar a Reserva Regional de Segurança Alimentar.

“No âmbito da operacionalização dessa Reserva Regional, esta intervenção no Níger é a primeira do género, em que o governo do Níger se comprometeu ao mais alto nível a restituir, grão por grão, a totalidade dos alimentos que lhes foram disponibilizados. . Trata-se, portanto, de tornar efetivo o princípio da solidariedade comunitária e de sustentar o nosso sistema regional de reservas alimentares”, concluiu Sékou Sangaré.

Importa lembrar que, durante a 53ª Cimeira da CEDEAO realizada a 31 de julho de 2018, em Lomé, na República Togolesa, a Conferência dos Chefes de Estado e de Governo saudou as medidas de mobilização urgente da Reserva Regional de Segurança Alimentar e apelou aos Estados-membros beneficiários que honrassem os respetivos compromissos de reconstituir as existências mobilizadas.

Criada pelos líderes da África Ocidental a 28 de fevereiro de 2013 em Yamoussoukro, na República de Côte d’Ivoire, a Reserva Regional de Segurança Alimentar visa complementar os esforços dos Estados-membros por conceder assistência alimentar e nutricional rápida e diversificada.

Essa Reserva serve de igual modo para demonstrar a solidariedade regional para com esses Estados e as populações afetadas.

Note-se que a entrega de alimentos ao governo nigerino foi possível graças à União Europeia, que financia o Projeto de Apoio à Reserva de Segurança Alimentar da África Ocidental, num total de 56 milhões de euros.

A pré-citada remessa é a segunda intervenção da Reserva Regional de Segurança Alimentar após a de 1130 toneladas de cereais feita pela CEDEAO a 8 de agosto de 2017, em Maiduguri, em solidariedade com as populações do Nordeste da República Federal da Nigéria, afetadas por uma situação alimentar difícil.

Oportunidade para o Sr. Sékou Sangaré de expressar sua gratidão aos parceiros técnicos e financeiros da CEDEAO, em particular, a União Européia, a Agência Francesa de Desenvolvimento, a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, bem como a USAID, pelo seu apoio constante e diversificado à operacionalização da Reserva Regional de Segurança Alimentar.

Sékou Sangaré, représentant le président de la Commission de la Cedeao
Une partie de la population présente à la cérémonie
Une vue des vivres dans l’un des magasins de l’OPVN à Dosso

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram
Upcoming events

Vagas na OOAS
01 Abr 2019 - 30 Abr 2019 [WAHO/OOAS]