Gestor De Informação – Abidjan

TÍTULO DO POSTO Gestor De Informação – Abidjan
INSTITUIÇÃO GIABA
GRAU P4
SALÁRIO ANUAL UA45,511.85  USD71,808.60    /   UA53,235.34    USD83,994.71
STATUS PERMANENTE
AGÊNCIA CENTRO DE INFORMAÇÃO DO GIABA (ABIDJAN)
DEPARTAMENTO  
DIREÇÃO DIREÇÃO GERAL
DIVISÃO  
SUPERVISOR DIRETO RESPONSÁVEL PELA COMUNICAÇÃO E ADVOCACIA
SUPERVISIONA  
LOCAL DE AFECTAÇÃO ABIDJAN
 

As candidaturas devem ser submetidas para: b17infoman@ecowas.int

 

 

SÍNTESE DA FUNÇÃO

Sob a supervisão do Responsável Principal da Unidade de Comunicação e Advocacia, o titular do cargo deve gerir e manter o Centro de Informação, bem como supervisionar o Assistente de Comunicação e um Motorista. Ele/ela será responsável pela gestão das atividades de sensibilização e de divulgação ao público nos Estados-membros do GIABA de língua francesa e portuguesa.

 

TAREFAS E RESPONSABILIDADES

•     Gerir eficazmente o Centro de Informação;

•     Supervisionar eficazmente o pessoal sob as suas ordens;

•     Elaborar e implementar programas e atividades de sensibilização e divulgação ao público nos países sob a sua responsabilidade;

•     Acompanhar e apresentar relatórios, numa base contínua, sobre as atividades dos media no que diz respeito ao trabalho do GIABA;

•     Gerir um centro de formação em eLearning e ministrar formação em linha às partes intervenientes relevantes;

•     Realizar atividades de advocacia e facilitar as ações de promoção do Diretor-Geral;

•     Estabelecer e manter parcerias com agências governamentais, associações profissionais, instituições académicas, estudantes, o setor privado, os media e outros organismos da sociedade civil em apoio às atividades de LBC/CFT do GIABA;

•     Assegurar uma ampla cobertura mediática das atividades do GIABA;

•     Manter uma biblioteca física para a prestação de serviços enquanto centro de referência em matéria de LBC/CFT;

•     Apoiar as instituições académicas, os estudantes e outros investigadores que realizam estudos sobre o BC/FT e a LBC/CFT;

•     Contribuir para os relatórios e outras publicações do GIABA;

•     Assegurar o planeamento, coordenação e controlo das atividades da Unidade de Comunicação e Advocacia;

•     Garantir a visibilidade interna e externa das ações e resultados do Centro e, para este efeito, produzir periódicos, comunicados, boletins informativos, etc., tal como solicitado;

•     Organizar, de vez em quando, conferências de imprensa para divulgar informações estratégicas e produtos do GIABA;

•     Prestar apoio no âmbito da organização de acontecimentos mediáticos do Diretor-Geral e do pessoal delegado;

•     Contribuir para as necessidades de comunicação, sensibilização e divulgação das atividades ligadas aos programas;

•     Apoiar a manutenção do sítio Web do GIABA;

•     Elaborar materiais de IEC destinados a diferentes grupos-alvo com vista à produção e à distribuição em diferentes fóruns;

•     Manter uma base de dados das diferentes partes intervenientes;

•     Estabelecer e gerir as redes sociais e outras plataformas de rede;

•     Contribuir para a manutenção de uma imagem adequada da instituição;

•     Apoiar periodicamente a organização de eventos, se necessário;

•     Contribuir para os discursos do Diretor-Geral;

•     Apoiar os Correspondentes Nacionais do GIABA na melhoria da sua estratégia de comunicação e de divulgação;

•     Elaborar relatórios periódicos destinados ao seu supervisor direto acerca das atividades implementadas e dos resultados obtidos;

•     Desempenhar, de tempos a tempos, outras tarefas que lhe possam ser atribuídas.

 

QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS E EXPERIÊNCIA

•     Licenciatura (ou equivalente) em relações públicas, comunicação de massas ou domínio relacionado emitida por uma universidade reconhecida;

•     7 anos de experiência enquanto responsável no domínio do jornalismo, comunicação estratégica, informação ao público ou relações internacionais;

•     Conhecimentos aprofundados da estratégia e das diretrizes em matéria de comunicações internas e de produção de plataformas inovadoras com vista à promoção da comunicação interna na CEDEAO;

•     Conhecimento comprovado em matéria de comunicação, informação e relações públicas e capacidade de tratar diplomaticamente situações sensíveis com públicos-alvo e de cultivar relações produtivas.

 

LIMITE DE IDADE

Ter menos de 50 anos. Esta disposição não se aplica a candidatos internos.

 

PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS DA CEDEAO

•     Capacidade de fazer com que os grupos trabalhem juntos de forma cooperativa, através do empenho ativo, criação de um clima de respeito e abertura, aplicação de técnicas eficazes de facilitação de grupos, exploração dos seus potenciais, motivação e orientação;

•     Organizar e liderar grupos de trabalho interdisciplinares a fim de desenvolver soluções criativas destinadas a resolver problemas e ou liderar um pequeno grupo de profissionais de nível básico e um pessoal de apoio administrativo;

•     Capacidade de respeitar a hierarquia de forma adequada;

•     Elaborar técnicas de formação no trabalho, juntamente com excelentes competências em matéria de tutoria e acompanhamento;

•     Conhecimento de novas abordagens de orientação do pessoal para facilitar a compreensão do seu papel e da organização;

•     Capacidade de atribuir trabalho, dirigir relatórios e dar de forma atempada e consistente um feedback relativo à proficiência técnica e à eficácia;

•     Capacidade de representar eficazmente a organização junto de entidades externas.

•     Capacidade de considerar o impacto de uma mudança na direção programática para as necessidades das partes intervenientes internas e externas;

•     Capacidade de estimular e considerar o feedback do pessoal a fim de agilizar os processos e cumprir prazos que sejam relevantes para as expectativas dos clientes;

•     Capacidade de manter a sua serenidade e direção de forma consistente em situações de alta pressão;

•     Desenvolver competências em matéria de resolução de problemas, mediação e resolução de conflitos a fim de resolver discrepâncias e reclamações, evitar situações de “estrangulamento”, restrições de tempo que afetem a qualidade e a quantidade dos serviços prestados aos clientes;

•     Capacidade de antecipar as crescentes necessidades e expectativas dos clientes a fim de melhorar, contínua e atempadamente, a qualidade, os prazos, a prestação de serviços e o tratamento das questões dos clientes;

•     Capacidade de comunicar abertamente com os clientes, mantendo-os informados sobre os progressos e questões que requerem atenção/resoluções.

·      Capacidade de implementar alterações programáticas de forma a garantir um ambiente de trabalho sem preconceitos, uma aplicação justa e equitativa das novas regras/regulamentos;

·      Experiência e capacidade de aderir a políticas, metas, objetivos e princípios de valorização da diversidade no desempenho das suas funções e responsabilidades diárias, promovendo / modelando comportamentos que demonstrem a tolerância e a compreensão de culturas diferentes;

·      Capacidade de manter-se objetivo na gestão de conflitos, independentemente das diferenças/posições culturais, diferenças de género e encorajar outros trabalhadores a superar preconceitos e diferenças culturais e de género;

·      Capacidade de criar valor tirando partido das diferentes capacidades e contribuições de várias culturas, pessoal e clientes;

·      Capacidade e responsabilidade de incorporar as perspetivas de género e assegurar a participação igual de mulheres e homens em todas as áreas de trabalho;

·      Capacidade de criar um ambiente interativo, diversificado e inclusivo que beneficia de diversas forças, reunindo práticas inovadoras;

·      Capacidade de procurar as melhores práticas para tomar decisões organizacionais de relevância para a gestão da diversidade, assegurando que as atividades do projeto e do programa identifiquem domínios vulneráveis e contenham verificações sistémicas.

•     Conhecimento das instituições da CEDEAO e como os diferentes órgãos se relacionam umas com as outras, em particular no que diz respeito ao próprio setor/programa de trabalho;

•    Conhecimento de abordagens relativas à elaboração de políticas e programas de uma organização internacional, bem como à gestão de projetos;

•     Conhecimento das regras, procedimentos e processos de uma organização internacional que sejam pertinentes às tarefas relacionadas com o seu próprio cargo;

•     Conhecimento das tendências, indicadores, desafios e oportunidades de desenvolvimento dos Estados-Membros no que dizem respeito a projetos/programas que lhe são atribuídos.

•     Criatividade e flexibilidade para desviar-se dos métodos tradicionais na elaboração de novos procedimentos, processos e ferramentas, utilizando, sempre que possível, a tecnologia para simplificar métodos e abordagens;

•     Capacidade de reavaliar os procedimentos em vigor e propor melhorias para assegurar um processo eficaz e racionalizado;

•     Capacidade de recolher e resumir informações para prever as opiniões das partes intervenientes sobre uma nova política/programas e excelente capacidade analítica para avaliar políticas e tendências externas quando da revisão das opções de política/programa, prós, contras e recomendações;

•     Capacidade de sintetizar informações complexas recolhidas de uma variedade de fontes externas e internas e divulgá-las de forma lógica a outras pessoas;

•     Capacidade de aplicar uma metodologia adequada para descobrir ou identificar questões políticas e preocupações em relação aos recursos.

•     Capacidade de avaliar, integrar e comunicar os mais recentes desenvolvimentos na área da especialidade, utilizando orientações e critérios da instituição/agência;

•     Desenvolver aptidões relacionais, de negociação, de ligação em rede e de apresentação com capacidades comprovadas para influenciar, explicar informações complexas e demonstrar empatia e abertura de espírito;

•     Capacidade de comprovar competências operacionais na utilização do computador na comunicação utilizando ferramentas tecnológicas;

•     Capacidade de transmitir, clara e concisamente, informações através de meios escritos e verbais.

•        Demonstrar habilidades de escuta ativa para incentivar uma comunicação mais forte entre os membros da equipa, demonstrar atenção, valorizá-los e estimular o envolvimento dos trabalhadores em todas as instituições e agências;

•        Proficiência em tecnologias de informação e comunicação (TIC);

•        Fluência oral e escrita numa das línguas oficiais da Comunidade da CEDEAO (inglês, francês & português). Conhecimento de uma segunda língua oficial da Comunidade será uma vantagem adicional.

•     Conhecimento dos ciclos de planeamento interno e capacidade de contribuir para o desenvolvimento e de implementar políticas ou institucionais a nível comunitário, ao determinar o público-alvo, criar alianças com a população adequada e medir os progressos realizados;

·     Capacidade de considerar condições, fatores e tendências externas ao organizar as atividades do projeto a fim de assegurar os melhores resultados;

·     Capacidade de analisar os resultados dos processos, correspondência, relatórios e documentos de política a fim de elaborar planos exequíveis;

·     Capacidade de realizar reuniões com o pessoal, partes intervenientes, colegas e outras pessoas a fim de determinar o programa organizacional e/ou as necessidades do projeto, fazendo as adaptações necessárias aos planos e atividades;

·     Capacidade de adaptar os planos de projeto com base na contribuição do pessoal e das partes intervenientes e/ou capacidade de conceber e implementar diretrizes, ferramentas e modelos destinados a acomodar programas e serviços novos ou revistos.

 

Partilhar no:

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram