Twitter Facebook Youtube

Termos De Rerencia Para Recrutamento Medico Gineco-Obstetricia - No Quadro Do Programa De Voluntarios Da CEDEAO


Data : 07 Out 2019 - 27 Out 2019
Local : Guiné-Bissau,
Cidade : Bissau
País : Guiné-Bissau

Termos De Rerencia Para Recrutamento Medico Gineco-Obstetricia

No Quadro Do Programa De Voluntarios Da CEDEAO                

 

 

I. Informações sobre o posto                    

 

DESIGNAÇÃO DO POSTO: MEDICO GINECO-OBSTETRICIA

LOCAL DE AFETAÇÃO: REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU

CATEGORIA: VOLUNTÁRIO NACIONAL DA CEDEAO

TIPO DE CONTRACTO: PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DA CEDEAO. POSTO NÃO-FAMILIAR

DATA PREVISTA PARA O INÍCIO DE FUNÇÕES : 1 DE DEZEMBRO DE 2019

DURAÇÃO: UM (01) ANO, RENOVÁVEL (DEPENDENDO DE DISPONIBILIDADE ORÇAMENTAL E DE DESEMPENHO SATISFATÓRIO)

PRAZO: 27 OUTOBRE DE 2019

II. Preâmbulo

 

O Centro da CEDEAO para a Promoção da Juventude e do Desporto (CCPJD), foi criado pela Decisão A/DEC.13/01/05 de 19 de Janeiro de 2005 em Acra, Gana, como uma agência especializada da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Na 32ª sessão da Cimeira da CEDEAO, realizada em Junho de 2007, os Chefes de Estado e de Governo adotaram uma nova abordagem à integração regional através da aprovação de uma nova visão global denominada Visão 2020 da CEDEAO, cujo principal objetivo é passar de uma «CEDEAO de Estados» para uma «CEDEAO de Povos» até ao ano 2020.

Por conseguinte, o CCPJD implementa as suas políticas, atividades e planos de ação estratégicos, bem como a visão da CEDEAO nas áreas da juventude e do desporto, incluindo o Programa de Voluntários da CEDEAO. O objetivo do CCPJD é iniciar, desenvolver, coordenar e implementar programas que digam respeito à juventude e ao desporto no seio da Comunidade e, para este fim, trabalha no sentido de:

  • Mobilizar os diferentes segmentos da população para garantir a sua integração e participação efetivas no desenvolvimento social da região, bem como a promoção das organizações juvenis e associações profissionais a fim de garantir a máxima participação nas atividades da Comunidade;
  • Proporcionar um quadro institucional permanente no seio da CEDEAO através do qual as questões relacionadas com as atividades da Juventude e do Desporto na sub-região possam ser desenvolvidas e promovidas.
III. Quadro Organizacional do Centro

 

O Centro da CEDEAO para a Promoção da Juventude e do Desporto (CCPJD) é uma das Direções do Departamento dos Assuntos Sociais e do Género da Comissão da CEDEAO. Está sediado em Ouagadougou (Burkina Faso) nos termos do acordo de sede assinado entre as autoridades do Burkina Faso e a Comissão da CEDEAO.

A decisão N° A/DEC 13/01/2005 de 19 de Janeiro de 2005 tinha adotado a estrutura organizacional formada por quatro Divisões (Juventude, Desporto, Administração e Finanças, e TIC). Contudo, desde 2008, o Centro sofreu algumas modificações estruturais na sequência da transferência do Programa dos Voluntários da CEDEAO (PVC) do Departamento de Assuntos Políticos, Paz e Segurança, da Comissão (DAPPS) para o CCPJD, no Departamento de Assuntos Sociais e Género.

O PVC é centralizado na organização, mas descentralizado na sua aplicação para permitir flexibilidade e adaptação às realidades atuais de cada país. As orientações estratégicas, incluindo a formulação da visão geral, das metas e objetivos do Programa, são da responsabilidade do Conselho de Coordenação Regional (CCR), cujo papel, entre outros, é garantir que o PVC se transforme numa genuína componente voluntária da CEDEAO.

Sendo um programa transversal, o Conselho Regional de Coordenação dos Voluntários da CEDEAO inclui representantes dos principais departamentos da Comissão da CEDEAO. O CCR é presidido pela Comissária para os Assuntos Sociais e Género da Comissão da CEDEAO, assistida pelo Diretor do Centro da CEDEAO para a Promoção da Juventude e do Desporto (CCPJD), como Presidente suplente do CCR.

A componente executiva do CCR é o Escritório Regional, estabelecido pelo CCPJD em Ouagadougou (Burkina Faso). As atividades de coordenação regional do programa são coordenadas por um Coordenador Regional sob a supervisão do Diretor do CCPJD. Embora o PVC dependa da Divisão da Juventude do CCPJD, está sob a supervisão direta do Diretor do CCPJD por uma questão de eficácia.

Ao nível nacional, O Conselho de Coordenação Nacional (CCN) funciona como órgão nacional através do qual são dadas orientações políticas nacionais ao Programa. Este Conselho trabalha para a compreensão e a consolidação do Programa dos Voluntários no contexto nacional, e também presta assessoria ao Escritório Nacional, que é responsável pela coordenação do Programa ao nível nacional.O CCN é presidido pelo Chefe do Escritório Nacional da CEDEAO no país e é constituído por pontos focais/representantes dos vários ministérios, organizações da sociedade civil, agências das Nações Unidas e organizações juvenis locais envolvidas na implementação do programa ao nível nacional.

IV. O Ministério da Saúde Publica, Família e Coesão Social

 

O Ministério da Saúde Publica, Família e Coesão Social e a estrutura do Governo responsável pela elaboração, execução seguimento e avaliação de politicas publicas em matéria da saúde, família e coesa social e a promoção da igualdade e equidade de género.

O seu objetivo consiste essencialmente em garantir a melhor qualidade de serviços sociais a população em geral de maneira geral e as camadas mais vulneráveis de uma maneira particular.

Para a materialização deste nobre objetivo pretende contratar três médicos/as gineco-obstetricos/as com objetivos melhorar a qualidade de serviços de saúde a nível das regiões de Bolama Bijagós e Quinara, sendo um por cada região.

V. Funções e Responsabilidades

 

O médico/a gineco-obstetrico/a dos Voluntários da CEDEAO trabalha diretamente com o Ministério da Ministério da Saúde Publica, Família e Coesão Social da Guiné Bissau e realiza as seguintes funções e responsabilidades:

  • Assistência gineco-obstétricas integral à saúde da mulher nas diversas fases da vida,
  • Abordagem secundária e terciária das afeções gineco-obstétricas, contraceção em situações-especiais.
    Promover abordagem das urgências/emergências gineco-obstétricas, assistência ao parto eutócico;
  • Realizar indicações e interpretações de exames complementares em ginecologia e obstetrícia;
  • Realizar auscultações e abordagem especializada das vítimas de violência sexual e   aplicação dos protocolos do Ministério da Saúde relacionados à assistência da mulher vitimas da violência sexual;
  • Atendimento gineco-obstétrico as pacientes e estabelecendo com base na boa relação médico paciente, formulação das hipóteses-diagnósticas e sugerindo condutas especializada;
  • Elaborar e apresentar periodicamente os relatórios narrativos dos serviços prestados incluindo informações e dados estatísticos dos pacientes que devera ser partilha como DRS a Coordenação do programa dos voluntariados, Ministério e a Célula da CEDEAO na Guiné-Bissau;
  • Avaliar o desempenho performance dos voluntários através de critérios claramente predefinidas;
  • Contribuir na melhoria dos indicadores de saúde nas áreas de intervenção do programa
  • Trabalhar em estreita colaboração com a Direção Regional.

 

VI. Qualificações, experiência e outras competências necessárias:

O Ministério da Saúde Publica, Família e Coesão Social e a estrutura

 

 

 

  • Medico/a gineco-obstetricia;
  • Ter idade compreendida entre 20 a 40 anos de idade;
  • Ter pelo menos 5 anos de trabalho no domínio da saúde;
  • Conhecimentos em assistência integral à saúde da mulher nas diversas fases da vida. Abordagem secundária e terciária das afeções gineco-obstétricas, contraceção em situações-especiais.
    Abordagem das urgências/emergências gineco-obstétricas, assistência ao parto eutócico;
  •  Conhecimento para indicação e interpretação de exames complementares em ginecologia e obstetrícia;
  • Conhecimento no domínio de abordagem das vítimas de violência sexual e aplicação dos protocolos do Ministério da Saúde relacionados à assistência da mulher vitimas da violência sexual;
  • Habilidades técnicas no atendimento gineco-obstétrico, estabelecimento de boa relação médico-paciente, formulação das hipóteses diagnósticas e sugerindo condutas, indicar e interpretar exames complementares em ginecologia e obstetrícia;
  • Larga experiencia em trabalhar com as comunidades e num ambiente multicultural
  • Capacidade de liderança e espírito de equipa;
  • Excelente capacidade de comunicação;
    VII. Requisitos linguísticos

    O Ministério da Saúde Publica, Família e Coesão Social e a estrutura

 

  • Domínio de português escrita e falada;
  • Domínio de francês ou inglês seria uma vantagem.
    VIII. Composição da Candidatura

    O Ministério da Saúde Publica, Família e Coesão Social e a estrutura

 

    • Uma Carta de candidatura/motivação assinada e endereçada ao Diretor do CCJPD;
    • Curriculum Vitae detalhado realçando as competências e experiências específicas do candidato;
    • Cópias autenticadas de certificados, diplomas e certidões de trabalho;
  • IX. Apresentação das candidaturas

    O Ministério da Saúde Publica, Família e Coesão Social e a estrutura

    Registo criminal com validade de menos 6 meses e atestado de robustez fisico.As candidaturas devem ser enviadas por email ao seguinte endereço: evp.recruitment.pgb@ecowasvolunteers.org com o título : “Candidatura ao Posto de MEDICO GINECO-OBSTETRICIAna referência do assunto. 

 

X. Condições de serviço

 

O Selecionado/a deverá basear-se na sede da região com frequentes deslocações para as áreas sanitárias;

 

Será oferecido um contrato inicial de 12 meses com um Subsídio de Subsistência Mensal de 412.5 USD ou o seu equivalente em moeda local.

No início da função, e só se for aplicável, será pago um subsídio de instalação e, no fim da função, um subsídio de reinstalação.

Ao titular do posto será atribuído um seguro de saúde e um seguro de vida.

Aplicam-se outras condições de serviço de acordo com o estipulado no Manual de Administração e Gestão do PVC e no Guia de Condições de Serviço.

XI. Outras condições

 

O posto está aberto a nacionais de GUINE BISSAU que, à data do recrutamento, não tenham mais de 38 anos de idade.

Este posto é considerado um posto de Voluntário nacional da CEDEAO não-familiar.

Esta afectação é para um Voluntário Nacional da CEDEAO não-familiar.

O cargo está aberto a qualquer candidato que seja, em primeiro lugar, nacional da República da Guiné-Bissau.

Na ausência de uma candidatura nacional qualificada, qualquer outro candidato de um Estado membro da CEDEAO que tenha residido legalmente na Guiné-Bissau durante pelo menos dois (02) anos pode ser considerado.

O subsídio de subsistência para este cargo é o de um Voluntário Nacional da CEDEAO

A CEDEAO e o Ministério da Saúde Publica família e Coesão Social promovem a igualdade e equidade de género, portanto, as candidaturas femininas são vivamente encorajadas.

 

 

Mapa não disponível

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram