Importação e exportação

A política comercial regional foi elaborada na perspetiva de reforçar as exportações para os Estados-membros e o resto do mundo. As importações para a Região são consideradas como sendo complementares às exportações de bens e serviços.

O comércio externo da CEDEAO é dominado por uma série de produtos e gera um valor acrescentado local devido à preponderância de combustíveis provenientes das indústrias extrativas. Representam três quartos (75%) das exportações (excluindo-se as reexportações) e são feitas principalmente pela Nigéria (73%). O Cacau e as preparações alimentares derivadas do cacau (5% das exportações), pedras preciosas (3%) seguidos de algodão, frutas comestíveis, borracha, plásticos, madeira e produtos de madeira, peixe e mariscos (cerca de 1% cada), constituem com os combustíveis, os principais produtos de exportação da Comunidade Económica da Africa Ocidental.

A Europa representa cerca de 28% das exportações da CEDEAO e a União Europeia 23%. As Américas representam 40%, dos quais 34% para o Acordo de Comércio Livre da América do Norte (NAFTA) que abrange os Estados Unidos, o Canada e o México. A abertura comercial fomentada pelo desenvolvimento do comércio Sul-Sul demonstra um avanço significativo dos países asiáticos e da Oceânia, que absorvem 16% das exportações e o Próximo e Médio Oriente 0,3%. A maioria das exportações é feita pela Nigéria e por Côte d’Ivoire, ambas acumulando 87% dessas transações. A Nigéria proporciona 77% das exportações da Região e Côte d’Ivoire 10%. Por seu lado, Gana e Senegal estão no terceiro e quarto lugar assegurando respetivamente 4% e 2% das exportações regionais. O Mali segue os líderes tradicionais assegurando 1,7% das exportações regionais. Cada um destes cinco países (Benim, Burkina Faso, Guiné, Níger e Togo) assegura 1% das exportações regionais.

No que diz respeito às importações regionais, são dominadas por cerca de dez produtos. Os combustíveis permanecem na cabeça da lista. Representam 24% de todas as importações. Seguem-lhes os veículos a motor, os tratores, os ciclos e outros tipos de veículos (2º lugar), maquinaria, aparelhos mecânicos e caldeiras (3º lugar), maquinaria e aparelhos eletrónicos (4º lugar), cereais (5º lugar), plásticos (6º lugar), obras de ferro, ferro e aço (7º), ferro, ferro fundido, aço (8º), produtos farmacêuticos (9º), peixe e frutos do mar (10º). Relativamente às exportações, a Nigéria surge uma vez mais como líder fazendo por si só 41% das transações contra 18% pelo Gana, 10% pelo Senegal e a mesma percentagem por Côte d’Ivoire. A Nigéria e o Gana juntos asseguram 59% das importações da Comunidade contra 36% pelos outros oito países da União Económica e Monetária da África Ocidental (UEMOA). Os restantes 5 Estados-membros asseguram apenas 5% das importações da Comunidade.

Numa certa medida, o comércio nos serviços que devia promover o crescimento na África Ocidental depara com constrangimentos de ordem institucional, regulamentar e infraestrutural.

Para além da falta de visibilidade e de dados para conhecer o verdadeiro potencial do setor do serviço a nível regional, muitas outras restrições externas ou internas estão a comprometer a sua competitividade. Dentre os obstáculos internos, pode-se citar a pressão fiscal, o desenvolvimento do setor informal, as dificuldades de acesso ao crédito e a inadequação dos mecanismos de financiamento para a exportação de serviços, a má qualidade de desempenho (incumprimento das normas de garantia da qualidade ISO Versão 9001 2000), deficiência energética, falta de transparência e boa governação, execução de uma parte substancial dos contratos públicos por empresas estrangeiras em vários países, inadequação das infraestruturas de serviço, alto custo das transações comerciais (fatores de produção, obstáculos administrativos), etc.

Está-se a esforçar atualmente por garantir que não haverá mais falta de informação sobre os mercados estrangeiros, obstáculos à livre circulação, reconhecimento mútuo de qualificações e diplomas, custos relativamente muito altos para estabelecer negócios no estrangeiro e a situação dos países encravados, entre outras.

Statistiques Régionales du Commerce
Les exportations régionales vers les pays Tiers par produits détaillés en valeurs (US Dollar)

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram