Twitter Facebook Youtube
A CEDEAO apresenta na edição de 2019 do fórum afrisanté em Abidjan
Dr Siga Fatima Jagne, 5ème de la gauche vers la droite

Abidjan, 3 de maio de 2019. A edição de 2019 do Fórum AFRISANTÉ (FAS) foi aberta em 29 de abril de 2019 em Abidjan, Cote d’Ivoire, com o tema “reformas urgentes”.

O ponto alto do evento se realizou na presença do Ministro marfinense da Saúde e Higiene Pública, Eugène Aka Aouélé, da Comissária para Assuntos Sociais e Género da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Dr.ª Siga Fatima Jagne, representando o presidente da comissão, e de várias outras personalidades.

O fórum reuniu mais de 350 palestrantes e participantes por dois dias. Estes incluem representantes de ministérios, organizações internacionais, laboratórios, financiadores, atores privados, empresas de desenvolvimento e distribuidores de produtos e equipamentos farmacêuticos.

Durante a reunião, várias questões do sistema de saúde africano foram discutidas, tais como a taxa evolutiva da cronicidade das doenças não transmissíveis, a persistência de doenças infeciosas, a qualidade do atendimento, a baixa capacidade de cumprimento, e as despesas relacionadas com a saúde.

Tendo em vista o empobrecimento das populações africanas, que enfrentam gastos excessivos com a saúde, as abordagens tais como a promoção de medicamentos genéricos e o investimento em prevenção são formas e meios propostos neste fórum para a solução dos problemas de saúde na África.

Em sua intervenção, a Dr.ª Siga Fatima Jagne congratulou-se com a iniciativa de realizar esse fórum. Ela assinalou que a CEDEAO, através da Organização Oeste Africana de Saúde (OOAS), está em sintonia com o fórum, ao oferecer regularmente uma plataforma para as partes interessadas no sistema regional de saúde, ao compartilhar as melhores práticas de saúde e ao construir parcerias de sucesso Sul-Sul e Norte-Sul.

Ela recordou os progressos consideráveis realizados pela CEDEAO na redução da mortalidade infantil em mais de 50% e da mortalidade materna em mais de 45% entre 1990 e 2015. Apesar dessas conquistas, ainda há grandes desafios, disse ela, citando a taxa de mortalidade de 70% na África devido à malária, a importação de quase 80% dos medicamentos para tratar doenças na África, e a cobertura universal de saúde.

A Dr.ª Siga Fatima Jagne queria que este fórum fosse o ponto de partida para uma parceria público-privada inovadora que pudesse melhorar a qualidade dos serviços de saúde e contribuir para a consecução de objetivos de saúde sustentáveis em todas as nossas regiões.

Por sua parte, o Ministro da Saúde marfinense saudou a organização do fórum AFRISANTÉ na Cote d’Ivoire. Esta iniciativa, afirmou Eugène Aka Aouélé, marca a vontade dos atores da saúde de oferecer às populações das regiões em questão um sistema sanitário que garanta um serviço eficiente.

Para ele, esta reunião não é apenas uma resposta aos múltiplos males que a África enfrenta no campo da saúde, mas também uma oportunidade para discutir e debater questões, bem como desafios estratégicos relacionados com o desenvolvimento dos sistemas de saúde africanos.

Note-se que o fórum AFRISANTÉ é um evento regional do setor da saúde na África do Norte, Ocidental e Central, organizado em parceria com o governo marroquino. É uma plataforma de Business to Business com intercâmbios e debates para todos os principais intervenientes no desenvolvimento de sistemas de saúde na África francófona.

 

Share on :

Twitter Facebook Google Plus Linkedin Youtube Instgram